quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Feliz Natal!!

O LIFE Laurissilva Sustentável deseja a todos um NATAL muito FELIZ!! 
Que esta época seja cheia de alegria e amizade, e permita encerrar este ano da melhor forma. 
Para todos um excelente e reconfortante NATAL!!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Novos ocupantes na Estufa!

Apesar do tempo chuvoso as plantações na área de intervenção na Serra da Tronqueira continuam e já foram plantados alguns milhares de faias e urzes (essenciais numa primeira fase) e também algumas dezenas de ginjas do mato.

Com tanta planta a sair para o campo, ganha-se espaço na estufa. É hora de repicar, dos canteiros, exemplares de outras espécies que germinam mais lentamente. A estufa ganha por esta altura novos ocupantes. Algumas centenas de cedros, uvas do mato e paus-branco vieram agora cobrir as bancadas e estrear os novos recipientes para plantas de maior porte, ou por outras palavras, os novos vasos! ;)





Assim que estiver pronto o inventário já saberemos exactamente quantas plantas foram repicadas. Depois é acompanhar e garantir que tudo corre bem para que se desenvolvam fortes para no inverno de 2011já irem ocupar o seu devido lugar na Natureza!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Reportagem da Plantação do Dia da Floresta Autoctone

O Gabinete de Comunicação e Imagem da Câmara Municipal da Povoação acompanhou o início das plantações do Laurissilva Sustentável em conjunto com alunos da Povoação e do Nordeste.
Podem ver aqui o resultado do seu trabalho:

video


http://www.youtube.com/watch?v=bonWx5_dd6c

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Dia da floresta Autóctone comemorado com plantação de plantas nativas



O Dia da Floresta Autóctone marca o início da época de plantação e sementeira das espécies autóctones na região mais mediterrânica. O projecto Laurissilva Sustentável não ficou alheio a este dia e convidou jovens da Povoação e Nordeste para efectuar esta acção de plantação, em conjunto com representantes dos parceiros do projecto, nomeadamente da Direcção Regional do Ambiente e da Câmara Municipal da Povoação.




Inicialmente foi efectuada uma explicação do projecto e seguidamente passou-se à plantação com muitos dos alunos muito interessados no tema. As plantas que foram plantadas foram ginjas (Prunus azorica), faias (Morella faia) e urzes (Erica azorica).





Os alunos e professores (34 no total) eram provenientes da Escola Profissional Monsenhor João Maurício de Amaral Ferreira da Povoação e da Escola Básica e Secundária do Nordeste. Inicialmente estavam um pouco tímidos, mas após começarem a ver o trabalho intensivo da plantação ajudaram bastante, plantando cerca de 500 plantas. Ao longo dos próximos meses alguns milhares de plantas continuarão a ser plantados nesta área, agora livre de conteira e incenso.


Para mais fácil acesso a área, a equipa de campo construiu uma rampa temporária de acesso à área, como se pode ver nas fotos. Sem dúvida uma acção a repetir, com entidades, alunos e público em geral.



Obrigado a todas as pessoas que participaram.A ajuda de todos é fundamental!


terça-feira, 23 de novembro de 2010

Equipa de projecto de volta à escola!

O LIFE+ Laurissilva Sustentável mudou de sede! Quase a completar dois anos, o espaço que estava a funcionar como sede de projecto já era pequeno... Assim depois de avaliar a disponibilidade de locais, a Câmara Municipal da Povoação cedeu uma parte da Escola Primária da Lomba do Carro para instalação da equipa.


 Desta forma não só temos mais espaço para trabalhar como se volta a dar uso a um excelente edifício que actualmente apenas é usado parcialmente.

A partir de agora quando nos quiserem visitar já sabem: Escola da Lomba do Carro! Para além da paisagem para a montanha do Pico da Vara, é possível ver Priolos e Laurissilva a pouco mais de 5 minutos de carro (mas os Priolos nem sempre...) :D

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Magusto nos Viveiros do Projecto LIFE Laurissilva Sustentável

A equipa da SPEA em São Miguel festejou o São Martinho com um Magusto nos Viveiros do Projecto LIFE Laurissilva Sustentável, com castanhas, jeropiga, e também frango e sardinha assada!
Numa altura de tão famosa crise, é sempre bom festejar o Magusto!!!
O importante é o convívio entre todos os colaboradores, a troca de ideias, experiências, saberes e acima de tudo sabores!


C.V.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Tempo de visitas...

As últimas semanas foram de trabalho intenso no Laurissilva Sustentável. Para além das múltiplas tarefas decorrentes das acções implementadas, o projecto recebeu várias visitas para acompanhamento dos trabalhos. Uma das visitas que se realizou foi da Unidade LIFE da Comissão Europeia. Duas técnicas desta unidade (Muriel Drukman e Miriam Lopez) e o técnico da equipa externa de acompanhamento (João Salgado) visitaram as diversas acções do projecto, bem como realizaram uma avaliação da gestão financeira do mesmo.


Durante dois dias foi possível visitar várias das áreas de intervenção do Laurissilva Sustentável e ainda rever a execução de cada uma das muitas acções do LIFE, junto com a equipa de projecto e representantes dos vários parceiros.

Desta forma foi possível acompanhar os trabalhos a decorrer nos Graminhais, verificar os resultados da intervenção sobre o incenso na estrada da Tronqueira e ainda visitar a estufa de plantas nativas na Povoação.


No final, depois de dois longos dias, o balanço foi bastante positivo. Apesar de alguns reparos sobre aspectos a corrigir nos próximos meses, as acções estão a correr de acordo com o planeado, sendo que em algumas os resultados estão a ser bastante positivos.

Esperamos que as nossas visitas tenham apreciado estes dias e que numa próxima visita o Laurissilva Sustentável continue apresentar excelentes resultados...

sábado, 9 de outubro de 2010

A paisagem começa a mudar nos Graminhais...

As Turfeiras dos Graminhais são um habitat de grande importância não só para a biodiversidade mas também para as populações que vivem em sua volta. Este tipo de ecossistema tem um comportamento semelhante a uma esponja, acumulando água e regularizando o regime hídrico ao longo do ano.


Para isso é fundamental parar a acentuada degradação que se tem verificado por ação humana. Abertura de valas de drenagem, movimentos de terras com máquinas, invasão por plantas exóticas, pastoreio, ou plantação de criptomérias, foram algumas das actividades que levaram a que hoje em dia estas turfeiras estejam em acentuada degradação. Esta degradação tem vindo a provocar um aumento de erosão nas linhas de água, um maior número de picos súbitos de caudal nas ribeiras, uma menor capacidade de reter água e uma alteração acentuada no coberto vegetal, nomeadamente com o desaparecimento de áreas de musgão.


Para recuperar estas áreas começaram a desenvolver-se diversas acções que pretendem eliminar as várias ameaças. Uma das ações que se iniciou este mês de Setembro foi a remoção de algumas das cortinas de criptoméria que existem na área de intervenção. Apesar de pouco desenvolvidas devido Às condições climatéricas, estas linhas de criptoméria concentram a água e acabam por provocar linhas de erosão que se pretende agora recuperar. Por outro lado, o arvoredo fechado reduz a luminosidade e acaba por eliminar a vegetação local.


Durante o mês de Setembro, aproveitado o bom tempo que se fez sentir, foram cortadas duas faixas (cerca de 1,5 ha) de criptoméria. As árvores foram cortadas e o material vegetal foi depois quebrado e armazenado em locais especificos.  O material proveniente destes cortes irá ser utilizado para outras acções como o reforço do trilho pedestre ou substrato para os musgões em áreas de solo descoberto. Foi um excelente trabalho realizado em tempo recorde pela equipa de campo do projecto. Num total de 5 dias foi feito o corte das árvores e ainda a remoção de uma grande quantidade de gigante e cletra de uma das áreas da turfeira.

Para já a paisagem começa a mudar... Aproximando-se daquele que seria o seu aspecto original. Esperamos que ao longo do tempo e com a execução das acções previstas seja possível voltar um dia a ter todo o potencial destas turfeiras. Será excelente para as plantas... e para as pessoas.


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Crianças da Povoação visitam Viveiro do Life...

No final do mês de Agosto, no âmbito do projecto “A Natureza e a Ciência” ,a estufa tdo LIFE Laurissilva teve pela primeira vez alguns visitantes mais novos. Foi um grupo de cerca de 10 crianças com idades compreendidas entre  os 7 e os 12 anos. Apesar de inicialmente estarem um pouco intimidados, no final estavam contentes e verificaram como se faz alguns dos trabalhos dentro de uma estufa de plantas.

A visita começou por uma breve explicação das funcionalidades de um viveiro de plantas e a importância das plantas endémicas para o Priolo, depois aprenderam como se semeiam algumas sementes, por exemplo de urzes, faia e pau branco. No final ainda ajudaram a plantar alguns patalugos.
Para primeira experiência de receber visitantes tão jovens, correu bem e achamos que foi positiva para explicar aos mais novos a importância da preservação da flora endémica e preservação do Priolo. Por estas razões esperaremos continuar a ter no futuro muitas mais crianças a visitar o nosso espaço e a aprender como ele funciona.

Este grupo de visitantes pertencia à Fundação Maria Isabel do Carmo Medeiros da Vila da Povoação.O nosso obrigado pela alegre visita.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Estufa do Laurissilva já tem mais de 20.000 plantas!

A monitorização que se faz mensalmente na estufa da Povoação, registou este ultimo mês de Agosto uma subida bastante acentuada. Registaram-se cerca de 23000 plantas, na maioria das quais Faias (Morella faia) e Urzes (Erica azorica), que são aquelas que germinaram mais rapidamente e em maior número.


Apesar de haver algumas mortalidades das Faias e principalmente das Urzes, os resultados para o primeiro ano de estufa até têm sido bem positivos, chegando quase ao objectivo de 25000 plantas anuais previsto no projecto. Outro resultado positivo tem sido com as Uvas-da-serra que temos cerca de 1000. apesar de haver pouca semente no ano transacto.



Vai continuar a ser feita esta monitorização mensal e depois o seguimento das plantas no terreno, já que este Outono/Inverno vão ser colocadas as primeiras plantas criadas na estufa/viveiro, nomeadamente as Ginjas do mato (Prunus azorica) na serra da Tronqueira e Faias, que irão dar um novo colorido no Ilhéu de Vila Franca.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Um visitante de outro Arquipélago...

Os trabalhos do LIFE Laurissilva Sustentável receberam durante a última semana a visita de um elemento da Associação de Biólogos São-tomenses (ABS), associação de São Tomé e Príncipe com quem a SPEA tem colaborado nos últimos anos para o desenvolvimento de projectos ligados ao estudo e conservação das aves deste arquipélago.

Durante quase uma semana a equipa de projecto contou com a muito simpática companhia do Hugulay Maia, que teve a oportunidade de conhecer melhor o dia-a-dia dos trabalhos desenvolvidos na Serra da Tronqueira, bem como visitar algumas das áreas de intervenção dos LIFEs Priolo, Laurissilva e Ilhas Santuário onde pode verificar os resultados obtidos ao longo dos últimos anos.


Para além dos trabalhos de campo, o Hugulay colaborou igualmente nas actividades do Centro Ambiental do Priolo e foi inclusive um dos participantes na Maratona Fotográfica da Serra da Tronqueira.

Apesar de o tempo passado em São Miguel ter sido pouco para tanta coisa, ainda foi possível visitar alguns dos principais pontos da ilha como as Lagoas do Fogo, Furnas e Sete Cidades, comer uns bolos levedos e provar o milho cozido das Furnas... Ainda deu tempo para um pouco de chuva, sol, vento e nevoeiro e muitos momentos bem passados.

Esperamos que a viagem de regresso seja tranquila e que os projectos da ABS sejam de grande sucesso para a conservação das aves do Arquipélago de São Tomé e Príncipe.


De referir que São Tomé e Príncipe são as ilhas com a maior concentração de aves endémicas do mundo. Com uma superfície de cerca de 1000 km2, as duas ilhas têm 28 espécies endémicas, das quais 17 só existem em São Tomé e 8 só existem no Príncipe. Este é um número espectacular pois a maior parte das ilhas de tamanho semelhante fica-se por apenas uma ou duas espécies endémicas.

(mais informação aqui jornal.quercus.pt - aves de STP

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Controlo de Incenso continua...

O Incenso é uma das piores espécies invasoras a média e baixa altitude. A média e baixa altitude são também as zonas onde a floresta natural está em pior situação e em manchas menores. Assim sendo estão a ser feitos esforços para recuperar algumas destas áreas em risco de desaparecerem dada a progressão do Incenso. Esta espécie tem uma excelente capacidade de crescimento e de germinação pelo que aumenta de número rapidamente. Para piorar a situação, a sua copa é muito ampla e densa causando grande ensombramento.


Apesar do tempo um pouco instável durante o mês de Agosto, tem sido possível continuar o trabalho de controlo de Incenso na área seleccionada. Este tipo de trabalho, que implica o uso de motosserras, exige grandes cuidados para evitar causar danos nas inúmeras árvores e arbustos nativos que podemos encontrar no meio do Incenso. Para poder ser feito o controlo do Incenso foi necessário anteriormente "limpar" a conteira que dominava o subcoberto desta área.

Apesar da boa capacidade de recuperação da floresta natural, em alguns locais onde a densidade de invasoras era maior, serão plantadas no próximo outono/inverno várias das plantas que estão a ser produzidas no viveiro da Povoação. Isto irá permitir reforçar as populações das espécies nativas e igualmente ocupar mais rapidamento o espaço para evitar a sua re-invasão.

sábado, 26 de junho de 2010

Viveiros das Furnas, no âmbito do Projecto Life Laurissilva

Para além do viveiro que está a Vila da Povoação, o projecto LIFE Laurissilva Sustentável tem ainda mais 6 canteiros nas Furnas, em terrenos da SPRAçores. Estes foram semeados em Fevereiro com sementes de Folhado, Cedro-do-mato e Azevinho.

Como os viveiros da Povoação estavam completamente cheios de sementes (38 canteiros) pediu-se a colaboração da SPRA para possibilitar utilizar algum terreno para mais canteiros...
Após 4 meses as sementes começam a dar origem a plantas, como é o caso da germinação de cedros-do-mato, demonstrando uma boa viabilidade. Nesta última contagem verificaram-se 75 cedros do mato, esperando-se muitos mais.

Viveiro de Plantas dos Açores produz as primeiras...

... Aves!

Pois o casal de Alvéolas que escolheu a estufa do Life Laurissilva já tem a companhia de dois juvenis. A família ainda pode ser vista com frequência na área do viveiro na Povoação. Sempre dão uma ajuda no controlo de insectos.
Quanto aos Piscos, o ninho foi encontrado vazio numa altura em que as crias já estavam grandes pelo que não se conseguiu saber quantas crias terão sobrevivido...
Vamos a ver se mais algum ninho vai aparecer neste espaço do projecto.
Algumas fotos das Alvéolas.
(um dos juvenis)

terça-feira, 8 de junho de 2010

Viveiros do projecto Laurissilva Sustentavel inaugurados





Os viveiros do LIFE+ Laurissilva para produção de plantas dos Açores, situados junto à vila da Povoação, foram ontem oficialmente inaugurados. Um ano depois do início dos trabalhos para a sua instalação o viveiro está agora plenamente funcional. A abertura oficial contou com a presença dos vários parceiros e colaboradores do projecto, tendo sido feita uma completa explicação de todas as fases de produção de plantas nestas instalações.



O viveiro instalado em terrenos cedidos pela Câmara Municipal da Povoação, irá produzir plantas para as acções de recuperação de floresta nativa na Serra da Tronqueira, esperando-se que já a partir deste ano seja possível plantas alguns milhares de plantas contribuindo para a recuperação da muito ameaçada Laurissilva dos Açores e também do Priolo, que nela encontra o seu principal habitat.

domingo, 6 de junho de 2010

Novos vizinhos no Viveiro do Projecto...

As plantas que já se encontram no viveiro do projecto Life Laurissilva Sustentável têm agora novos vizinhos...


Finalmente a Primavera parece ter chegado e as aves rapidamente iniciaram os seus comportamentos de reprodução. Assim sendo na área do viveiro da Povoação foram identificadas duas novas famílias: um casal de  pisco-de-peito-ruivo ou papinho e um casal de alvéola-cinzenta ou lavandeira, com os seus respectivos pequenotes.

Vamos agora esperar que tudo corra bem e que em breve existam mais uns bicos a alimentar-se dos insectos que por ali andam...

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Alunos da Escola de Nordeste “À Descoberta da Laurissilva”




 
O Projecto LIFE+ Laurissilva Sustentável, no âmbito da Acção D5, em colaboração com o Centro Ambiental do Priolo, está a desenvolver nos meses de Abril e Maio uma actividade de Educação Ambiental que se intitula “À Descoberta da Laurissilva” com os alunos dos 5º e 8ºanos da Escola EBS do Nordeste. Os 6º anos da Escola estão também a realizar um “Herbario Fotografico” das plantas endémicas dos Açores. 





“À Descoberta da Laurissilva” tem como principal objectivo sensibilizar a população estudantil para a existência da floresta nativa dos Açores, em muitos casos desconhecida, e para os problemas que a ameaçam.
Partindo do principio que a população em geral desconhece as plantas que compõem esta magnifica floresta é nosso intuito, de uma forma lúdica e pedagógica, que os estudantes passem a considerar estas plantas como parte do seu património natural e que deste modo sejam sensibilizados para a necessidade da sua conservação.
“À Descoberta da Laurissilva” é uma actividade que começa com uma breve introdução sobre a Floresta Laurissilva enquanto é distribuído aos alunos um pequeno caderno de campo ou “jogo” que contém um conjunto de fotografias de plantas endémicas e invasoras acompanhadas de uma série de pistas acerca das mesmas. Este “jogo” tem como objectivo a identificação das plantas no campo, por parte dos estudantes, recorrendo ao apoio de monitores de modo a fornecerem o nome comum das plantas a preencher no caderno, e outras curiosidades.

A saída de campo realiza paragens em quatro locais distintos:
1 Miradouro do Pelado  (Fazenda /Nordeste), local onde se pode observar as espécies endémicas que se encontram nas zonas costeiras como a Urze, a Faia da Terra, o Pau Branco e o Bracel, bem como as principais ameaças, nomeadamente a Cana, uma planta invasora.

2 Miradouro da Tronqueira, onde se encontra uma das áreas de Floresta Laurissilva em melhor estado de conservação, e onde se pode observar o problema das plantas invasoras, como o incenso e a acácia, que conseguem ocupar toda uma área desde a ribeira do Guilherme até à encosta .

3 Jardim das Endémicas do Parque Florestal Cancela do Cinzeiro, um local onde se pode caminhar por um pequeno trilho pedestre permitindo a observação de plantas endémicas ou nativas de muito perto, e onde são ocasionalmente observados Priolos, ave endémica de São Miguel.


4 Centro Ambiental do Priolo, um espaço criado para a divulgação de informação e educação ambiental onde se realiza a sessão de conclusão da actividade e visionamento de um jogo interactivo sobre a Floresta Laurissilva, criado pela Escola Profissional da Praia da Vitoria.

Os resultados obtidos com esta actividade de sensibilização têm sido bastante positivos pelo impacto que se consegue junto da comunidade estudantil, que ao estar em contacto directo com a natureza e desfrutando da beleza paisagística e floristica oferecida pela Floresta Laurissilva, passam a observar estas plantas como algo único que lhes pertence e que não querem que perder.